Anúncios

O lado obscuro da internet

por Érica Perazza

No ano passado, de acordo com a Internet World Stats, quase dois bilhões de pessoas tinham acesso à internet, ou seja, cerca de 30% da população do planeta.  De acordo com as pesquisas do Netcraft,  são cerca de 555,482,744 sites existentes na rede! Em novembro de 2010, houve um aumento de aproximadamente 5,6%; ou seja, quase 30 milhões de endereços a mais para navegar. E pensar que, em 1982, haviam apenas 15 sites online.

Os números não param por aí. O índice do Google tem mais de um bilhão de urls em seus resultados de pesquisa. Já foram enviadas mais de 110 trilhões de mensagens por e-mail, são publicados 200 milhões de tweets por dia,  no YouTube a cada minuto são disponíveis mais 48 horas de vídeos para você assistir e um blog é criado por segundo. Loucura, né?

No Brasil, mais de 80 milhões de pessoas estão conectados. A região sudeste consome mais de 60% do conteúdo disponível na rede. Ainda, em 2010, o comércio eletrônico no país vendeu cerca – de nada mais nada menos do que 15 bilhões de reais. Isso porque (só) 20% dos usuários fazem compras através de lojas virtuais.

Pois é, a internet cresce a cada segundo. Mas por outro lado, os problemas relacionados à ela também.

Censura

Com a criação da internet, a colaboração foi estimulada como por exemplo através do Wikipedia. Mesmo assim, muitos países como a China, Coréia do Norte e Arábia Saudita censuram conteúdos e até o comércio digital.

Direitos Autorais

Por ser colaborativa, não significa que os usuários podem compartilhar textos e vídeos sem dar os devidos créditos. Quem dá Crtl C + Crtl V pode ir preso.

Segundo o Miami Herald, o Brasil está no eixo do mal da propriedade intelectual. É uma orgia sem limites. Pelo Consumer International, o nosso país se posiciona em quarto lugar na pior lei de Direitos Autorais do mundo.

Dados pessoais

Você sabia que não temos como garantir nem afirmar que nós somos nós mesmos? A identificação biométrica é falha. Sim, é possível falsificá-la da mesma forma que o DNA nem sempre é 100% correto.  Além disso, não são apenas textos de nossa autoria que estão em risco, mas também nossos dados pessoais e nossa identidade.


Conteúdo Impróprio

A internet não é um campo de morangos, não. Tem muito mais porcaria ( e a timeline do meu facebook sabe muito bem disso!) do que qualidade.

O podre mesmo desse mundo virtual é na região em que existem vários possuem conteúdos difamatórios. Semana passada fiquei sabendo de um caso em que um blog que fala como matar e estuprar mulheres, discrimina negros e gays da forma mais desumana possível e posta verdadeiras barbaridades. Não vou mencionar o seu nome para não dar aundiência a um ser humano desse tipo. O site dele era hospedado no WordPress. Várias pessoas se uniram para denunciá-lo e dessa forma, sair do ar.

A resposta foi a seguinte: A Automattic (responsável pelo WordPress) não tem controle sobre os sites que utilizam o software WordPress.  Porque o blog não era .com e sim .org.

Mas como assim não tem controle algum? Podem postar qualquer porcaria que tudo bem? Plágio? Pedofilia? Não estou pedindo censura – deve existir sim a liberdade de expressão, mas opa, calma aí! Bom senso para quê?

E outra, o WordPress lavou as mãos. Logo, para mim, ele pode ser responsabilizado pelo conteúdo impróprio também. Consultada, Daniela Shmayev, especialista no assunto, afirma que “se eles não retirarem, podem ser acionados diretamente através da Responsabilidade Solidária. Logo, caso encontrem o dono do blog, entram com regresso. E sim, eles têm o DEVER de retirar o conteúdo. Especialista em Direito Digital, Rebeca Arima complementa: “É preciso verificar os termos de uso da plataforma de onde esse usuário posta e reportar o conteúdo. O ideal é identificar quem é ele primeiro antes da plataforma tirar isso do ar. É a prova que se tem sobre ele, se tirar do ar sem a prévia ciência da autoridade pode dar problema. Mas para isso existe o backup”.

Shmayev ainda aconselha: “Não divulguem, não armazenem ou acessem sites com conteúdo de pedofilia, só denunciem, pois você poderá estar praticando um crime também”.

Como proceder quando encontrar esse e outros blogs de péssimo gosto.

Você pode reportar crimes virtuais pelo site da Polícia Federal

http://denuncia.pf.gov.br

Dúvidas e notícias de crimes podem ser feitas pelo e-mail: 4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br

Telefone: (11) 2221-7030

Caso prefira denunciar pessoalmente o endereço é:  Av. Zaki Narchi, 152 – Carandiru – São Paulo/SP.

Acesse também para outras informações:

Twitter https://twitter.com/agenciapf

Facebook https://www.facebook.com/departamentodepoliciafederal

You Tube http://www.youtube.com/pfnatela

Acesso à informação

Você pode discordar, mas hoje em dia temos muito mais acesso à informações e mesmo assim parecemos mais burros. O tempo todo as pessoas vomitam dados, dados e mais dados, muitas vezes completamente irrelevantes, sem um um filtro ou aprofundamento. Acesso à informação não é conhecimento. Nossa geração é formada intelectualmente (se podemos dizer assim) pela televisão e agora pela internet. E quanta besteira postam por aí.

No site da Biblioteca Britânica (www.bl.uk), você consegue visualizar manuscritos da Grécia Antiga.

Muitos museus digitalizaram seu acervo também. Você pode explorar detalhes em obras de arte que são praticamente impossíveis de se ver a olho nu, uma vez que não se pode chegar tão perto da obra (isso quando você tem acesso à ela).

Já parou para pensar no quanto você pode aprender sozinho? Até mesmo outro idioma. O site Livemocha é uma rede social de línguas. Lá você interage com nativos e aprende inglês, japonês, russo, francês, italiano…

Claro que sou do time que apenas professores e livros educam realmente. A internet é um complemento. Mas atualmente, não damos o valor necessário a nenhum dos meios. Uma pena. E pensar que o Google que substituiu a antiga enciclopédia (lembra? Talvez você nem saiba o que é isso), disponibiliza milhares de resultados de pesquisa.

Preferimos saber onde nossos amigos deram check-in. O que eles estão pensando, ou melhor, do que estão reclamando ou se vangloriando ou mentindo (ou você acha que as pessoas são extremamente sinceras e verdadeiras?). Estamos num era em que a informação sobre pessoas é muito mais importante. Né, Facebook?

O irônico também é que além de estarmos mais próximos das informações no mundo todo e em tempo real, nos distanciamos do conhecimento. E ainda, estamos mais próximos também das pessoas – não há mais fronteiras de estados, países, culturas, religiões. Mas ao mesmo tempo, estamos com nossa sensibilidade humana desgastada. As relações sociais não são mais as mesmas. Quanto mais perfil em rede social a gente tem, mais solitário nos sentimos. Recebemos parabéns por mensagens. Uma falta de tato. Acariciamos o nosso computador novinho e lindo (sim, você faz isso).

Estamos vivendo uma era da interatividade, mas as pessoas estão cada vez mais sozinhas – ou pelo menos inseridas em relações artificiais, forçadas, fúteis. Esse sim é o verdadeiro lado negro da internet.

Anúncios

Tags:, , , , , , , , ,

Categorias: Internet

Pandora nas redes sociais

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: