Anúncios

Direitos “descartados”?

Joice Melo

O Brasil é visto lá fora (por alguns) como um país sustentável e com a economia estável. Porém, só que quem vive aqui sabe que as estatísticas são feitas para alguns e que os cidadãos não são um número, um ibope. Segundo o (Caged) Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o número de pessoas empregadas no país cresceu 3% se comparado ao período do ano anterior. Isso significa que foram criadas quase 1,2 milhão de vagas, sendo o maior número na área de serviços, indústria, agropecuária e construção civil, isso significa melhor crescimento nos últimos nove anos.

Mas, com tanto “crescimento” de emprego e inovações na tecnologia e robótica que estão se espalhando por aí, será tudo de acordo com seus direitos trabalhistas?

DIREITO DO TRABALHO é o conjunto de normas jurídicas que regem as relações entre empregados e empregadores, são os direitos resultantes da condição jurídica dos trabalhadores. Estas normas, no Brasil, estão regidas pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), Constituição Federal e várias Leis Esparsas (como a lei que define o trabalho do estagiário, dentre outras). Os seus direitos estão divididos em muitas categorias de acordo com sua função e ocupação.

Ex.: Gestante tem direito a quatro meses de licença maternidade – 120 dias – (empresas privadas); com o pagamento do salário integral e benefícios legais a partir do oitavo mês de gestação (LEI nº 10.421 de 15 de abril de 2002, art. 392 da CLT). Veja uma tabela resumida de todos os direitos que os trabalhadores têm.

Porém, não são todas essas leis que são cumpridas pelos superiores dentro de uma empresa, para isso existem os sindicatos dos trabalhadores, que podem ser encontrados de acordo com a localidade da empresa e quaisquer dúvidas e sugestões podem ser levadas até eles.

Pessoas x Máquinas.

Até que ponto podemos recorrer aos nossos direitos? Essa semana no portal do Estadão.com, uma notícia fala sobre uma empresa que é o maior fabricante terceirizado do mundo de produtos eletrônicos e que produz, por exemplo, a maior parte dos iPhones e iPods, ambos da Apple a Foxconn. É dito que pretende-se “descartar” seus trabalhadores e colocar no seu lugar 1 milhão de robôs, em apenas três anos.

O motivo dessa notícia é que a maioria dos empregados contratados são de outras regiões e a mão de obra é ineficiente. Segundo o diretor da empresa: “cortar despesas trabalhistas e melhorar a eficiência produtiva.” Ele prevê que a oferta de trabalho estará abaixo da demanda em 2014, o que ele chama de o começo do fim da era em que a China era a fábrica do mundo”.

Isso causa medo na população chinesa. E não é pra menos, pois a maior fonte de emprego (principalmente de jovens) e rentabilidade do país é através da Foxconn, que deve chegar ao Brasil ainda neste ano. A partir daí, surge a pergunta: “Acontecerá o mesmo em nosso país”? “Seremos substituídos por máquinas”?

Essas são duas questões importantíssimas que devemos nos fazer e fazer também aos órgãos públicos de nosso país. E, tentar descobrir se dentro dos nossos direitos trabalhistas existe uma “lei” contra tudo isso. Seremos defendidos, ou não, pela legislação do nosso país? Os seres humanos serão descartados como mão de obra das indústria? O que o futuro nos reserva?

Anúncios

Tags:, ,

Categorias: Ciência e Tecnologia, Comportamento

Pandora nas redes sociais

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: