Anúncios

Harry Potter e as Relíquias dos Fãs

Érica Perazza

Este especial é dedicado a você que acompanhou Harry até o fim
 
Harry Potter representa uma geração. Explicar o sucesso, o fenônemo, a febre é impossível. Ninguém sabe. Tentam, mas uma teoria científica com profundamento e argumentos que realmente fazem sentido ninguém tem. Tem?
No prefácio do livro Harry e seus fãs de Melissa Anelli (Rocco, 2011), J. K. Rowling conta que infinitas vezes fizeram lhe a mesma pergunta: “O que faz com que Harry Potter seja um tamanho sucesso de público?”. Ela não sabia – e ela não sabe até hoje – responder certamente.

Nem a Sibila Trewlaney poderia prever. Claro que não. Harry Potter alc
ançou números recordes que outras jamais não chegarem nem perto. Foram mais de 400 milhões de livros vendidos ao redor do mundo todo. Seria, praticamente duas vezes a população total do Brasil. O público que Rowling atingiu foi abrangente. Sua série de sete volumes conquistou culturas absolutamente diferentes. É um fenômeno mundial.

Em qualquer lugar que você vá, Taiwan, Cancun, San Diego, Rio de Janeiro, Carapicuíba, as pessoas conhecem. Ou pelo menos já ouviram falar. Além do mais, Harry Potter se tornou identidade do Reino Unido. É um símbolo tão forte quanto a Realeza Britânica e as cabines de telefone vermelhas. Ainda, tem tudo a ver com cultura, cinema, paixão, amor, amizade, lealdade, coragem. Harry Potter conseguiu resgatar da magia da vida desse nosso mundinho de merda, superficial, sem o minímo de encanto.

 

 
A saga foi traduzida para mais de 60 línguas, inclusive o latim e um dialeto germânico falado numa parte da Alemanha e da Holanda. Atingiu marca de bilhões de dólares em bilheterias. O último livro recebeu 2,2 milhões de reservas no mundo através do site da Amazon, batendo o recorde de 1,5 milhão estabelecido no sexto livro.  A editora americana Scholastic imprimiu a marca recorde de 12 milhões de exemplares do sétimo livro. O Google te dá mais de 15o milhões de resultados para a pesquisa “Harry Potter”. Em 2002, J.K. finalmente digitou “Harry Potter” e se deparou com os milhares de sites de fãs – um verdadeiro mundo bruxo on line. O sucesso na internet, os vídeos, os fóruns, as fan fics e os spoilers disseminavam como uma peste bubônica. Uma epidemia incurável, em que os fãs ficam doentes, sedentos, famintos por mais um pouquinho que seja. Um tiquinho só. O único remédio para leitores hipocondríacos era mais. 
 
É por isso que comunidade pottermaníaca jamais deixará de existir. Sempre vai abrir um livro, reler nem que seja um trecho, assistir o filme pela vigésima quarta vez e rir da mesma frase como se fosse a primeira vez. A história do menino que sobreviveu também irá sobreviver dentro de nós, mesmo que se formos crescidos. É como dar atenção àquela criança guardada em nosso passado. J. K. Rowling disse em seus discurso première do último filme, “Nenhuma história sobrevive se a não ser que alguém queira ouví-la”. A história de Harry Potter e as nossas histórias serão contadas e recontadas. A fantasia de Harry possui uma horcrux em cada um de nós.  Mas, ao contrário das de Tom, a cada vida nova, a magia se espalhará e será imortal. “Hogwarts sempre estará lá para lhe abrigar como um lar, afirmou – J.K. E respondeu sobre  a continuação da saga “Sempre disse ‘nunca diga nunca’.  Harry Potter é o meu bebê, então, claro, se um dia eu quiser escrever sobre isso de novo, eu vou”.  Sim, teremos mais. Mas mais importante, teremos para sempre.

Anúncios

Tags:, , , , , , , , , ,

Categorias: Especial, Literatura

Pandora nas redes sociais

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: